Recuperação no pós-parto, alternativas para seu bem-estar

 

 

O pós-parto é um período de muitas mudanças e adequações. Nesta ocasião a mulher está se adaptando à uma nova condição de ser mãe, que em muitos momentos é alimento, amparo e repouso para o bebê.

 

A mulher passa a viver boa parte do seu dia em função das necessidades básicas do filho, trocas de fraldas, noites sem sono contínuo, amamentação e tantos outras carências comuns ao recém-nascido.

Além disso, o corpo da mulher passa por transformações no pós-parto, são alterações hormonais, mudanças no corpo e no senso de prioridade que alteram por completo após o nascimento do bebê.

Neste artigo abordo os aspectos que mais causam insatisfação no momento do pós-parto e o que pode ser feito para amenizar alguns desconfortos desta fase.

 

 

 

As maiores dificuldades no pós-parto

Um dos grandes desconfortos no pós-parto é com relação à cicatriz cirúrgica, seja ela cesariana ou pela episiotomia – no caso de partos vaginais – no assoalho pélvico, que causam desconfortos, dores, edemas, dificuldade de locomoção e mal-estar físico. Seguido a isso está a relação com a própria barriga, seu tamanho e atual aspecto.

 

 

 

O que fazer para ter que uma recuperação mais eficiente?

O melhor a fazer para a recuperação no pós-parto é iniciar com o trabalho preventivo desde a gravidez. A prática de atividade física orientada e supervisionada por um profissional especialista ajuda na recuperação após o parto, acelera e facilita o retorno do corpo às condições pré-gravídicas.

 

Mas se a mulher não fez essa preparação durante a gravidez, ainda podemos ter benefício se o tratamento for adequado. A deambulação precoce – caminhada o quanto antes – ainda na maternidade é um dos maiores benfeitores para a recuperação puerperal. Ela ajuda na eliminação de gases, promove uma melhor circulação e irrigação sanguínea no corpo, ativa a musculatura, ajuda na diminuição de edemas, promove melhora da respiração, ajudando no bem-estar geral.

Outros exercícios mais específicos e massagens só podem ser prescritos mediante avaliação do tipo de parto, habilidade física na gestação e quadro clínico geral.

 

 

 

O que deve ser evitado neste período?

O tipo de parto diferencia bastante os cuidados que se deve ter no pós-parto.

No caso de cesárea, o maior cuidado é com a ferida cirúrgica que leva em torno de 45 dias para cicatrizar completamente. Evitar esforços é crucial neste período.

Não estou dizendo que você não pode realizar atividades físicas, pode sim, se bem orientadas e supervisionadas por um profissional com especialização na área.

Mas, exercícios por conta própria, aquela faxina pesada na casa ou voltar para a academia como antes, não. Repouse bastante, tome muita água (o que inclusive ajuda na amamentação) e curta seu bebê!

 

Já no parto normal e se houve episiotomia – corte e sutura na região da vagina, a recuperação demora cerca de uma semana. Os exercícios orientados são diferentes, assim como você se sentirá diferente.

Se não houve episiotomia, em cerca de três dias você se sentirá como antes. Mas calma! Seu corpo ainda não voltou ao normal e é preciso ter cautela.

 

Nos dois casos evite banhos muito quentes, dê preferência a banhos mais frios, faça compressas geladas nas regiões cicatriciais, beba bastante líquido, higienize adequadamente com um sabão neutro a região íntima e evite excessos físicos.

O pós-parto inadequado compromete a saúde total da mulher

Quando não realizado adequadamente o pós-parto pode complicar bastante a vida e a saúde tanto da puérpera como do bebê. Podem acontecer desde sangramento persistente no útero até abertura dos pontos da cicatriz, infecção generalizada, hemorragia e até morte. Parece simples, mas o pós-parto requer muito cuidado e orientação adequada.

 

 

 

E como os outros podem ajudar?

Os outros (parceiro, familiares, amigos) podem ajudar e muito proporcionando segurança e conforto no puerpério.

 

Ajudando a mulher a cuidar de si e do bebê. Deixando-a tomar banho por um tempo maior, preparando a comida dela, servindo um copo com água sempre, deixando-a tranquila quanto às visitas, ao cuidado da casa e cuidando do nenê para que ela possa dormir, descansar, tomar banho e até comer.

Ao mínimo sinal de desconforto, insista para que ela procure o seu obstetra e tire as dúvidas.

 

 

 

O que mais pode ser feita para a recuperação no pós-parto?

A prática de atividades físicas é uma coadjuvante para a saúde materna neste período e, apesar de raramente fazerem parte do plano de pós-parto, a atividade física durante o puerpério acelera o retorno às condições pré-gravídicas, favorece o retorno às atividades de vida diária, trata e previne certas patologias e melhora a qualidade de vida da mulher, facilitando o desenvolvimento da puérpera como responsável pela sua própria saúde.

 

No consultório também realizo a drenagem linfática nas minhas pacientes que também pode ser feita neste período, pois ela ajuda a eliminar líquidos em excesso, toxinas e resíduos do metabolismo.

Além de drenante, a drenagem manual é altamente relaxante. Mas é preciso ter cuidado, pois neste período nem todas as técnicas podem ser utilizadas e nem todos os locais podem ser drenados da mesma forma. Por isso, recomendo que procure um profissional especializado em gestantes.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes

March 2, 2019

February 2, 2019

November 8, 2018

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Siga
  • Instagram ícone social
  • Facebook Basic Square

Consultório

Contato

Av. Califórnia, 448 | Sala 4 | Jardim Califórnia | Ribeirão Preto - SP

WhatsApp (16) 99177-4433

  • White Instagram Icon
  • White Facebook Icon

© 2018 by FMA Comunicação Estratégica. Direitos de uso concedidos a Dra Daniella Leiros 

HORÁRIO DE ATENDIMENTO

Segunda a sexta-feira - das 8h às 17h30