O que não dizer para uma recém-mãe?



A maternidade transforma. Essa é a máxima das máximas.

A mãe leoa talvez ainda não aprendeu que ela pode se defender e isso não a torna mal educada, apenas defensora da cria.


Muitas pessoas não entendem que alguns comentários são inconvenientes e indecentes e o pior, machucam. Muito deles fazem parte da nossa sociedade, da nossa cultura, falamos e nem percebemos o quão inconvenientes estamos sendo. O melhor de tudo é que eles podem ser evitados. Vou tentar explicar alguns deles.

Vou aproveitar para falar o que nunca pude dizer diretamente quando escutei alguém se dirigir a uma mãe. Fui direta, tá? Como eu não estou falando especificamente para ninguém, fui aberta na “explicação”.


️Você tem leite?

Não existe bomba como um posto de gasolina que mede quanto sai de leite. Toda mulher tem leite, todo leite é forte, todo leite é suficiente, deixe de estressá-la que o leite vai fluir na necessidade que o bebê necessitar e sugar. O estresse só inibe a produção e a ejeção de leite. Ao invés de encher a cabeça dela com caraminholas, encha com carinho e estímulos do tipo: “Que colinho mais gostoso a mamãe tem. Esse nenê sentindo esse cheirinho mama que é uma delícia. O som do coração (da voz, da respiração) da mamãe é o melhor calmante...”


️Agora que você vai ficar em casa, aproveite para...

Nada de ficar em casa. Quem é mãe sabe que com criança em casa a gente não para e com bebê muito menos, é um mundo novo, um conhecendo o outro, cheio de demandas, muita coisa pra fazer, muitas vezes não dá nem pra escovar os dentes. Nada de inventar coisas. Agora que você vai ficar em casa (com o seu bebê) aproveite para conhecer o seu filho, para ficar com ele o máximo de tempo possível, mesmo que não consiga escovar os dentes.



Ai, claro que ela está! O parto é cansativo. Por mais que tenha sido uma cesárea, parir e se recuperar não é fácil. Agora além da recuperação do processo do parto, tem a recuperação da gravidez e todos os cuidados que um recém-nascido precisa. É claro que ela está cansada. É claro que ela está diferente. Você não precisa dizer isso pra ela. Ao invés disso, arrume o cabelo dela atrás da orelha, se ofereça para passar um batom em seus lábios, escolha um brinco para deixá-la mais ‘brilhante’, elogie o brilho nos olhos que o bebê trouxe à sua vida. Levante o seu astral, o seu humor, a sua autoestima, é tão bom ser elogiada!


️Vai querer mais um? Ou O pior será quando for adolescente.

Eita! Calma aí. Primeiro que a experiência dela começou agora. Deixe-a aproveitar o momento. Esse é o momento dela, a hora dela, ela está pensando nesse bebê agora. Segundo que não é hora pra pensar em mais um, mais dois, sei lá quantos. É hora daquele bebê. Terceiro, cada fase é uma fase. Como eu disse, deixe ela aproveitar. Quarto, cada pessoa é uma pessoa, não é porque os seus filhos (ou do vizinho) foram de tal jeito que o da recém-mãe serão. Ninguém é igual a ninguém. Não antecipe as coisas. Deixe-a viver o momento dela e esteja ali para apoiar.


️Posso ir aí ficar um pouquinho com você?

Não! Não pode. Você pode ir ajudar. Você pode ir ver se ela precisa organizar a casa, se tem coisas que ela precisa da rua. Se ela precisa que você olhe o bebê por um tempo enquanto ela toma um banho ou escova os dentes. Mas ficar com ela para ela ter que ficar fazendo sala, se preocupando se você está bem servida, se quer água, café, bolo, não. Visita a recém-nascido e recém-mãe é pra olhar, dar um oi e se não for ajudar (se não tiver intimidade), tchau. Desculpe, mas é verdade. A mulher está cansada, tem muita coisa pra fazer e ter a casa sempre movimentada atrapalha na criação de vínculo com o bebê. Sim, criação de vínculo. A mãe (e o pai) precisa CONVIVER com o bebê para criar vínculo e aprender a amá-lo cada vez mais e mais.


Dê (ou não dê) chupeta/mamadeira!

Hahahahahaha O filho é dela, é ela quem vai decidir o que vai dar ou não vai dar. É ela quem vai decidir junto com os profissionais de saúde que acompanham ela e o filho dela, baseados nas individualidades deles. Guarde a sua opinião para você. Eu sei que você está tentando ajudar. Eu sei você gosta deles, que você tem um caso positivo para contar e incentivar, mas não precisa, tá? Se ela não te pediu opinião, não precisa dar. O pós-parto já é cheio de tanta coisa, não precisa encher a cabecinha dessa mãe com mais coisas, com mais dúvidas, tá? Vamos lá, pensamento positivo, alegria, alegria. Não a julgue.


Meu sincericídio explodiu aqui, vou só citar o que não dizer. Só dar exemplos, acho que você já entendeu o quê da questão, não foi?


️Seu bebê não parece nadinha com você!
️Você ainda está usando roupa de grávida? Eu recuperei meu peso rapidinho.
️Nessa idade meu filho já fazia tão coisa, o seu não faz?
️Tenha calma! Se você não se acalmar, vai passar todo o nervoso para o bebê.


É só uma amostra.

Só um insight para que a gente lembre do que não devemos fazer ou falar a uma recém-mãe.

Tem muito mais coisas, tenho muito mais exemplos que fui colhendo ao longa da vida profissional.


Please, gente. Bom senso.

Calma, amor e empatia, tá?

Posts Recentes