Dicas de como preparar a chegada do filho mais novo.

A chegada de um novo bebê muda a vida de todo mundo na família.

As crianças mais velhas também sentem essa mudança.

Geralmente são os filhos mais velhos que pendem irmãos.

Geralmente são os filhos mais velhos que desejam primeiro a gravidez.

Geralmente. Mas nem sempre. Tem filhos mais velhos que não querem mais alguém pra dividir o amor e a atenção dos pais.



Isso pode acontecer, mas será só até conhecer o novo irmãozinh@.

Todo ser humano, do velho ao novo, fica encantado ao ver um bebê. Todo ser humano fica embasbacado ao lidar com um bebê. Com o seu(sua) filh@ mais velh@ não será diferente.

Vão existir momentos de choro, ciúmes e brigas, claro que vão. Mas até a gente que é adulto, briga com o marido/esposa. E olha que estamos juntos num bem comum que é construir e manter uma família. Imagine uma criança que não sabe direito o que está sentindo; um misto de alegria e tristeza, vamos dizer assim.

Preparar @ filh@ mais velh@ para a chegada de um irmãozinho nem sempre é tarefa fácil.

Cada ser humano reage de uma forma. Mas temos que tentar. Pensar que mentiras são tóxicas e viram uma bola de neve é um bom começo.



Eu entendo perfeitamente os pais que preferem adiar para dar a notícia, quando a barriga crescer, quando o bebê nascer... Cada um tem seus motivos. Eu entendo.

Mas seu(sua) filh@ será mais difícil de entender. Ele(ela) se sentirá “enganado”.

Criança é inteligente e tem a percepção aguçada, sabe que tem alguma coisa acontecendo e pega informações no ar, uma palavra aqui, uma palavra ali e logo monta a sua própria história a sua própria versão dos fatos.

E isso pode ser fantasioso e doloroso. Além a possível sensação de “traição”, de não ser confiável para saber do que estar havendo, essa versão pode ser distorcida da realidade.

E como fazer com que @ filh@ mais velh@ lide melhor com a gravidez?

Informando-o passo a passo.



Fazer @ filh@ mais velh@ participar dos processos da gravidez é somar mais e mais amor e ajudá-l@ a lidar com os sentimentos de uma forma mais orgânica e participativa.

E é isso que queremos dos nossos filhos, menos sofrimento e que contem conosco para tudo, não é?



Eis algumas dicas do que pode ser feito:
  1. - Contem que estão pensando em engravidar. Contem do jeitinho de vocês e da maneira mais adequada a idade, claro. Que Papai do céu, que a cegonha, que a sementinha do papai, que o namoro do papai e da mamãe... do jeitinho de vocês, você vão saber como.

  2. - Contem que engravidaram. A sementinha está crescendo, o bebê já está na barriga, seu(sua) irmã(o) já está aqui. Como acharem adequado e da forma que vier e convier.

  3. - Caso haja alguma perda, contem para @ filh@ mais velh@. Será importante ele(ela) passar pelo luto junto com vocês. El@ também sentirá a perda, a tristeza, o desamparo em casa.

  4. - Deixe @ filh@ mais velh@ sugerir o nome do bebê. Não significa que você vai escolher Batmam ou LadyBug só porque foi a sugestão dele(a), mas significa que você @ escuta, que a opinião dele(a) tem valor, tem ouvidos, é relevante.

  5. - Peça ajuda na montagem do enxoval, na escolha das cores. Claro que podem surgir opiniões como preto e marrom na decoração geral, mas você é mãe/pai, sabe fazer @ seu(sua) filho@ mudar de ideia ou escolher um objeto que seja com a cor escolhida para deixá-l@ “satisfeit@”.

  6. -Leve-@ às consultas, aos exames, ao ultrassom para ver e ouvir o bebê. Leve-@ à fisioterapia. Eu recebo tantos irmãos mais velhos no consultório (adoro!) e os coloco para trabalhar comigo; ajudando a mamãe nos exercícios, me ajudando a pegar as coisas, fazendo massagem, dando beijinho e conversando com a barriga.

  7. - Tá aí, outra coisa; faça-@ conversar com a barriga, alisar a barriga, passar creme e contar para o bebê como é a vida aqui fora e o fazer planos para quando estiverem juntos. Você vai se derreter de tanto amor ao ver os seus filhos interagirem desta maneira, é surreal.

  8. - Deixe-@ ser a primeira pessoa a conhecer o novo bebê. Diga isso a ele(ela), você foi @ primeir@ a conhecer fulano!” Vai ficar marcado e ele(ela) vai se sentir super importante, como realmente o é, não é mesmo?

  9. - Inclua @ filh@ mais velh@ na rotina do bebê, deixe-@ trocar a fralda, escolher a roupa, dar banho, segurar e carregar o bebê (mesmo que seja curtas distâncias) e claro, de acordo com cada idade.


Não é difícil. Pelo contrário, é super fácil incluir @ filh@ mais velh@ na gravidez e muito gostoso.

Às vezes a gente tem medo d@ filh@ mais velh@ sofrer, pensa no que vai sentir, como vai se comportar, mas diluir o que possa ser que venha de ruim é a melhor opção.



Fazendo-@ participar do processo, será muito mais fácil e menos sofrido, eu garanto, pois @ filh@ mais velh@ se sentirá parte dele e não só isso, se sentirá importante durante a vida d@ nov@ imãozinho@.


Dra Daniella Leiros - fisioterapeuta, acupunturista e doula (💐Serviços de apoio materno infantil)

Posts Recentes