Qual os maiores desconfortos relatados pelas gestantes?


Muita gente separa os desconfortos por trimestres, mas a verdade é que eles podem aparecer ou serem específicos de um determinado trimestre e continuar ao longo da gravidez.

Ou podem aparecer, desaparecer e reaparecer novamente. Que saco, hein?

Pois é, muito chato. Mas, faz parte da fisiologia da gestação. Eu vou explicar alguns deles e ensinar algumas estratégias para lidar melhor com essas sensações, tá?

Desconforto 1 - Enjoos

De cara a gente já pensa nos enjoos, né? Eles são um dos primeiros sintomas da gravidez. Às vezes a gente nem sabe que está grávida, começa a enjoar e vai fazer o teste. Bingo!

Eles são comuns, fazem parte da fisiologia da gestação e ocorrem simplesmente devido às alterações hormonais.

No começo da gravidez os níveis hormonais se elevam rapidamente e o organismo da mulher reage a esses aumentos com os sintomas de enjoos.

Com o passar das semanas gestacionais, o organismo vai se “acostumando” ou “aprendendo” a funcionar com estes altos níveis de hormônios e os enjoos tendem a cessar.

O pior é que o enjoo nem sempre passa depois dos três meses. Mas, temos diversas formas de controla-los.

Que bom, né?

Veja como controlar os enjoos aqui.

Desconforto 2 - Dores nas costas

Outro desconforto muito comum é a dor nas costas, não é? E por que isso acontece?

Vou explicar usando um exemplo comum: quando a barriga vai crescendo, a gente precisa segura-la senão a gente cai para trás, por uma questão de equilíbrio do corpo.

A dor é um estímulo sensorial sentido por cada mulheres de forma diferente, na gravidez ele é fisiológico podendo incomodar ou não.

Este desconforto pode ser maior ou menor dependendo de cada um.

Para minimizar, o primeiro de tudo é segurar a barriga, depois fazer muito alongamento.

Fazer caminhadas diárias também ajudam bastante, mas é importante caminhar de olho na postura, mantendo a barriga pra dentro.

Você pode me perguntar, mas como? Ela tá pulando pra fora. Sim, está, mas o músculo ainda contrai e quando a gente fala “barriga pra dentro” é contrair o abdome.

Aí surge outra dúvida comum, mas grávida pode fazer abdominal? Poooode. Claro que depois de uma orientação adequada.

Contrair o abdome sem movimento, sem exercício, sem flexão de tronco, PODE, e todo mundo DEVE fazer.

Então outra dica é manter o abdome contraído sempre, andando, caminhando, sentada... mantendo a postura.

O que fazer para aliviar essas dores?

Exercícios para o quadril são maravilhosos. Aquela reboladinha básica. Mas não é só rebolar, tem que saber rebolar e saber a amplitude do movimento, afinal realizar o movimento completo é um exercício. Aqui no consultório eu explico direitinho como se faz.

Existem exercícios para o quadril de diversas formas, em pé, deitada, sentada, na almofada, na bola, de quatro apoios.... incontáveis posições.

A dança também é uma excelente aliada para liberação de tensão e melhora nas dores, pois libera hormônios do bem-estar e ajuda a gestante a estreitar o vínculo com o filho, com seu corpo e com ela mesma.

Além disso, a dança melhora a digestão, a respiração e a circulação, aumenta a resistência física, a flexibilidade, a consciência corporal, coordenação motora e diminui o estresse e a tensão do corpo todo.

Também ajuda a estimular a sensação de bem-estar e felicidade e exercita o quadril. Quer mais?

Então eu completo a dica de dor nas costas (desconforto) falando de exercícios físicos em geral que fortalecem a musculatura, organizam a postura, melhoram a flexibilidade, diminuem tensões e geram aquela sensação gostosa de bem-estar.

O exercício físico é bom não só para o desconforto nas costas, mas todos os desconfortos gerais da gravidez, na cabeça, no pescoço, no punho, no quadril, nos joelhos e nas pernas.

Desconforto 3 - Dores nas pernas

Falando em dor nas pernas, aff, que coisa ruim, né? Aquela sensação de peso, cansaço, desconforto mesmo.

Esse é um dos mais comuns aqui no consultório, sabia?

Mas o que fazer?

Primeiro: exercício físico, pois melhora a circulação, melhora o retorno venoso e entre outros, fortalece a musculatura que atua como bomba empurrando o sangue e linfa para cima, fazendo circular.

Segundo: drenagem linfática é outra estratégia maravilhosa, eficaz e rápida para o desconforto nas pernas.

Na gravidez a musculatura dos vasos sanguíneos fica relaxada como a musculatura do estômago e do intestino e seus movimentos e funções ficam mais lentos.

Associado a isso temos a gravidade que dificulta o retorno da circulação para o tronco e então temos edema, dor, inchaço, incômodo.

Uma drenagem ajuda muito, mas o ideal é fazer a drenagem profilática, para evitar que você inche desde o comecinho da gravidez. Sim, desde o comecinho. Se sua gravidez não tem nenhuma intercorrência, não há contra-indicação da drenagem.

Notou com o exercício físico é fundamental para as gestantes?

Tudo é exercício? Sim!

O exercício melhora o organismo, o metabolismo como um todo.

Ainda não inventaram nada melhor para o corpo, para a saúde do que a atividade física.

E sim, o exercício melhora a atividade dos intestinos, que também fazem parte da fisiologia da drenagem linfática.

Mas, temos outras estratégias para isso.

Não dá pra massagear os intestinos, tem um útero e um bebê antes deles, mas podemos lançar mão da postura de cócoras que ajuda na circulação, no assoalho pélvico, no quadril, no relaxamento, no treino de posturas para o parto e no funcionamento dos intestinos.

Além disso, podemos melhorar a alimentação com fibras, óleo (azeite e oleoginosas) consulte seu nutricionista e muita, muita água.

Tem algum desconforto que você está sentindo e eu não falei?

Quer saber como se dar melhor com ele? Me escreve que eu te ajudo!

Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Instagram ícone social
  • Facebook Basic Square

Consultório

Av. Califórnia, 448 | Sala 4 | Jardim Califórnia | Ribeirão Preto - SP

WhatsApp (16) 99177-4433

HORÁRIO DE ATENDIMENTO

Segunda a sexta-feira - das 8h às 17h30

Contato

  • White Instagram Icon
  • White Facebook Icon

© 2018 by FMA Comunicação Estratégica. Direitos de uso concedidos a Dra Daniella Leiros